PIX

Quais os impactos do PIX sobre o sistema financeiro no Brasil?

Às vésperas do seu lançamento oficial, o PIX é o grande assunto do momento. Quem ainda não se preparou, corre para não ficar para trás.

Mas, afinal, quais são os impactos potenciais que o PIX pode trazer par ao mercado financeiro brasileiro?

Segundo o Banco Central, o PIX tem potencial para:

  • Aumentar a velocidade em que pagamentos e transferências feitos e recebidos, 
  • Alavancar a competitividade e a eficiência do mercado; 
  • Baixar o custo das operações financeiras;
  • aumentar a segurança das transações;
  • Aprimorar a experiência dos clientes;
  • Possibilitar inovação e o surgimento de novos modelos de negócio;
  • Reduzir o custo social relacionado ao uso de instrumentos baseados em papel;
  • Promover a inclusão financeira e preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente à população;

Vale destacar o potencial de promover a inclusão financeira da população. Segundo a CAIXA, 66,7 milhões de pessoas foram beneficiadas com o Auxílio Emergencial. Boa parte deste público, cerca de 45 milhões, nem existia nas estatísticas econômicas e financeiras. Este segmento, que não tem acesso ao mercado bancário tradicional, provavelmente terá nas contas de pagamento um instrumento viável, utilizado em telefones celulares pré-pagos a custos muito baixos.

Os pequenos negócios, profundamente impactados pela pandemia do COVID-19, poderão ter no PIX um instrumento de fluxo de receitas seguro, prático e alta rotatividade. O pequeno comércio local (mercearias, restaurantes, serviços de conveniência etc.), que sobreviveu à crise graças aos laços que estabeleceu com a comunidade do entorno terá no PIX uma fonte de recursos que o governo e o sistema financeiro tradicional não conseguiram cobrir com linhas de crédito escassas e com altos custos. Os clientes fiéis desse comércio, já estão nas listas de Whatsapp e poderão pagar com QR Code em seus celulares.

Os bancos tradicionais devem sofrer um impacto financeiro considerável em algumas das suas importantes fontes de receitas: as tarifas de DOC, TED e Boletos. Boletos bancário provavelmente serão ser substituídos por pagamentos instantâneos com QRCode.

O mercado de cartões já observa a mudança de comportamento dos clientes, com o crescimento consistente do uso dos cartões pré-pagos, apesar do volume financeiro ainda ser pequeno. Em contrapartida, os volumes de transações com cartões de crédito e débito tende à estabilidade.Impulsionando o momento de crescimento das contas de pagamento, o PIX deverá ser mais um instrumento de fidelização das cadeias produtivas. Com a possibilidade de receber a qualquer hora e instantaneamente, as empresas devem ganhar na gestão do seu fluxo de caixa. Deverá haver também uma significativa simplificação das rotinas financeiras – contas a pagar, contas a receber, com consequente redução na demanda de crédito para giro e de antecipações de recebíveis. Num loop de pagamentos fechado, fornecedores, intermediários e consumidores podem criar um arranjo produtivo, que elimina as intermediações atuais, reduzindo os custos das operações.

O PIX é o aspecto mais visível da profunda transformação digital do sistema financeiro, onde despontam as Fintechs, novos intermediadores financeiros e os contornos do que será o Open Banking. E o lançamento do PIX não poderia ser mais estratégico: às vésperas da Black Friday.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *